segunda-feira, 19 de julho de 2010

OAB: PT quer intimidar procuradora

Lauro Jardim
Radar On-Line


O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, saiu em defesa da vice-procuradora-geral Eleitoral, Sandra Cureau, ameaçada pelo PT de responder uma ação no Conselho Nacional do Ministério Público por ter supostamente extrapolado suas funções. Na semana passada, Cureau disse que Lula, em tese, pode ter cometido crime de abuso de autoridade por ter elogiado Dilma Rousseff em um evento oficial.

Para Ophir, o Ministério Público está apenas cumprindo o seu papel e que tal atitude do PT pode inviabilizar o funcionamento da própria Justiça Eleitoral. Disse o presidente da OAB:

– Esse tipo de posicionamento objetiva intimidar, tem como pano de fundo impedir que o Ministério Público Eleitoral possa exercer o seu papel. É lamentável que um partido político adote esse tipo de postura. Ninguém está acima da lei.

PDT faz chantagem para usar 'máquina' em prol de seus candidatos

O Diário do Pará traz uma notícia que revela o quanto o PDT no Para é um partido de oportunistas e demagogos.

Diz a matéria que o partido brizolista ameaça abandonar informalmente a coligação Acelera Pará, formada para a campanha de reeleição da governadora Ana Júlia, senão for aquinhoado com o comando do Detran.

O curioso nesse caso é que o PDT impõe uma condição que não ficou acertada quando Giovanni Queiroz, chefe da legenda no Pará, anunciou que o partido ficaria ainda mais chapa-branca nestas eleições. Agora, de olho gordo no butim, afia as garras em direção aos cofres do Detran, um órgão sabidamente arrecadador. Maior que o órgão de trânsito no tilintar das moedas do fisco somente a Sefa.

No Pará, partidos da estirpe do PDT envergonham o eleitorado. O PDT não quer participar do governo Ana Júlia porque dele já participa no comando de outros órgãos. Pelo visto, os pedetistas querem é usar a 'máquina' para impulsionar seus candidatos a deputado estadual e federal. Não é outro o motivo desse blefe de Giovani, um político que começou com Jarbas, aliou-se a Almir Gabriel, usufruiu das benesses de Jatene e agora, mesmo que abandone o barco liderado pelo PT, tirou uma lasquinha do governo Ana Júlia.

O governo do estado deve, se possível, resisitir a essa investida nada republicana de Giovanni Queiroz. E não perde nada se excluir o Detran dessa moeda de troca eleitoral. Até porque o PDT dispõe de votos na medida inversa à sua fome de poder.

Não seria mal, até, o governo se livrar do peso incômodo do PDT em sua coligação. Em Santarém, por exemplo, a chefia da Polícia Civil é indicada por político do PDT que foi preso e algemado pela Polícia Federal e responde a processo por formação de quadrilha de grilagem de terras.

Exemplos como esses se multiplicam por todo o Pará pode ter chegado a hora de diminuir o peso do incômodo fardo que é o governo dar oxigênio para o PDT respirar. Tá na hora de tirar o tubo!

Ministério avalia ações de combate à febre aftosa no Oeste do Pará

Agência Pará

Tornar o Pará livre da febre aftosa é a meta que a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) pretende alcançar até 2011. Um grande passo para isso é melhorar o nível de classificação das regiões do Marajó e Baixo Amazonas, hoje identificadas como de Nível 3 (alto risco), para Nível 2 (médio risco), o que pode acontecer até os próximos meses de agosto e setembro.

Desde a última segunda-feira (12), auditores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) estão no Pará inspecionando e avaliando oito municípios das duas regiões paraenses. Os técnicos do Ministério da Agricultura já visitaram os municípios de Soure, Cachoeira do Arari, Breves, Almeirim, Monte Alegre e Oriximiná. Desde sexta-feira (16), eles se encontram no município de Santarém.

O Pará está dividido atualmente, em relação à febre aftosa, em três grandes áreas, segundo a OIE (sigla em inglês para Organização Mundial de Saúde Animal). A Área 1 (livre de febre aftosa com vacinação – com reconhecimento da OIE), inclui as regiões do sul e sudeste – Transamazônica e tronco sul da Rodovia BR-163 (Santarém-Cuiabá) -, totalizando 44 municípios, que reúne mais de 70% do rebanho paraense; a Área 2, com 67 municípios, tem a classificação de área de médio risco, e a área 3, com 32 municípios das regiões de integração do Marajó e Baixo Amazonas, é classificada como de alto risco.

Indicadores - A inspeção da equipe federal envolve a organização do escritório, conversas com os profissionais da Adepará e verificação das condições dos veículos utilizados pelo órgão. Entre os indicadores pecuários analisados, estão os índices de vacinação, feita duas vezes ao ano. "Estamos com ótimos níveis. A exigência era de, no mínimo, 90%, e estamos acima disso. A média no Estado é de mais de 96%", informa Arapiraca. Ele acrescenta que a transição do Nível 2 para o 1 é mais complexa ainda, e inclui coleta de 10 amostras de cada mil animais.

A febre aftosa é transmitida, principalmente, por bovinos e suínos. No Pará, os bovídeos - bois e búfalos - são o foco dos veterinários. A última ocorrência da febre aftosa no Pará foi no município de Monte Alegre, no oeste, em 2005.

Postes da Celpa viram alvo de motoristas em Santarém

Entre os meses de abril de 2009 e abril de 2010 foram registradas 1.042 ocorrências de postes danificados por acidentes de trânsito. São registradas, por dia, quase três colisões entre veículos e poste de energia elétrica no Pará.

A última colisão aconteceu na madrugada de domingo, quando um carro colidiu em um dos postes da Rede Elétrica da Celpa,, na Rodovia Santarém Cuiabá, causando sérios prejuízos à Rede de Distribuição. Equipes de Manutenção da Celpa foram acionadas e com apoio da Polícia Rodoviária e da SMT, conseguiram normalizar a energia elétrica, tendo que recompor cerca de 200 metros de cabos e mais 04 postes da alta tensão. O acidente provocou o desligamento da Vila de Alter do Chão, Grande área do Santarenzinho, Maracanã, Aeroporto Wilson Fonseca e comunidades do entorno da Rodovia Everaldo Martins.

Os dados são do levantamento da Celpa, que tem um prejuízo de aproximadamente R$ 3 milhões e meio de reais por ano. Segundo o gerente de Serviços Técnicos da Celpa, Carlos Persinoti, os prejuízos não só para a empresa, mas para o consumidor, com o poste danificado, tem que gastar dinheiro para recompor o sistema, o que também leva tempo. Dados do DETRAN, revelam que 90 a 95% dos acidentes, decorrem da ação do comportamento do ser humano.

Persinoti, ainda chama atenção, para a parte elétrica: "é muito perigoso porque os cabos de energia ficam expostos a contatos com os ocupantes do veículo ou com terceiros que estejam no local naquele momento. E a falta de energia é o prejuízo principal para a população que é penalizada por conta da imprudência de alguns motoristas, pois, em uma situação dessa, equipes são deslocadas para o lugar do acidente quando poderiam estar resolvendo outras situações, como desligamentos intempestivos, por conta de chuva, árvores que caem na rede, o que temos visto muito também".

Em Santarém, só este ano, já foram registrados 33 abalroamentos em postes da rede elétrica, por veículos. Em janeiro, foi a maior incidência, 17 acidentes. O gerente regional, Alexandro Freitas, também reforça que os prejuízos são inúmeros, e em muitos casos a população fica sem energia e desconhece o problema.

O ferro que sustentava a estrutura do poste é vendido para empresas siderúrgicas e o concreto é quebrado e reutilizado para pavimentação de áreas internas da concessionária, que desenvolve suas atividades dentro do Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001.

(Com informações de Ansleiria Rodrigues)

Novo mapa elimina ‘vazios’ da Amazônia


A nova carta geográfica –
A nova carta geográfica – "cobre todos os chamados vazios cartográficos", correspondentes a uma área de 1,8 milhão de km² que não havia sido devidamente mapeada e sobre a qual existiam poucas informações.


Amazônias
RODOLFO ALBIERO

PrimaPagina

SÃO PAULO — O novo mapa da Amazônia Legal apresenta a inovação do uso da escala 1:100.000, em que cada centímetro do mapa equivale ao tamanho real de um quilômetro. Com isso, é possível pesquisar com mais precisão dados cartográficos da região, com detalhes nunca antes vistos sobre hidrografia, malha viária e divisão política. O mapa faz parte do Programa Piloto para Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG7), que foi criado com apoio do PNUD.

Graças às informações minuciosas trazidas pelo projeto – disponíveis na internet –, denominado Base Cartográfica Digital da Amazônia Legal, afluentes e subafluentes de rios que não apareciam em imagens disponíveis até então podem sem analisados.

O estudo, desenvolvido pelo Ministério do Meio Ambiente em parceria com o Exército, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Banco Mundial, se propõe a "auxiliar na diminuição das incertezas geográficas para o monitoramento e para a fiscalização das atividades humanas".

Por meio de imagens captadas por satélite, o mapa dividiu a Amazônia em 1.816 áreas iguais, cada uma com 3.025 km².

A nova carta geográfica – "cobre todos os chamados vazios cartográficos", correspondentes a uma área de 1,8 milhão de km² que não havia sido devidamente mapeada e sobre a qual existiam poucas informações, afirma o diretor de Zoneamento Territorial do ministério, Roberto Vizentin.

Os mapas disponíveis até então eram considerados inadequados para projetos de infraestrutura, como a delimitação de rodovias, gasodutos e a construção de usinas hidrelétricas. Também apresentavam dados insuficientes para segurança e defesa nacionais, principalmente nas áreas de fronteira.

"A iniciativa beneficia vários projetos do setor público e privado que poderão acessar as informações em uma escala inédita", afirma Vizentin.


Rotina em Rondônia: jovens viajam de canoa pelas águas do Rio Ouro Preto, no município de Guajará-Mirim, na fronteira Brasil-Bolívia /MONTEZUMA CRUZ
Rotina em Rondônia: jovens viajam de canoa pelas águas do Rio Ouro Preto, no município de Guajará-Mirim, na fronteira Brasil-Bolívia /MONTEZUMA CRUZ


Recursos florestais

Um dos objetivos do trabalho é reforçar o monitoramento e a fiscalização dos recursos florestais, auxiliando a atuação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama), da Polícia Federal e de outros órgãos governamentais para diminuir a vulnerabilidade da região.

Dessa forma, pode servir de ferramenta para ações de prevenção e punição em processos administrativos e jurídicos sobre o uso ilegal dos recursos naturais da região.

Com o novo mapa, por exemplo, existe a possibilidade de identificar estradas secundárias dentro da floresta, auxiliando o combate ao desmatamento. Ainda nesse segmento, poderá ser usado para delimitar áreas de conservação, como florestas nacionais, parques nacionais, reservas biológicas, estações e reservas ecológicas, além de reservas indígenas e reservas extrativistas.

A Base Cartográfica da Amazônia Legal passa a fazer parte do Sistema Cartográfico Nacional, supervisionado pelo IBGE.

A Amazônia legal é formada pelos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. A área total é da região é de aproximadamente 5,2 milhões de km², de acordo com dados do Governo Federal.


Ana Júlia é recebida por 1 mil pastores e Simão Jatene sai bem em teste de popularidade em Mosqueiro


A governadora Ana Júlia Carepa (PT), candidata à reeleição pela ‘Frente Popular Acelera Pará’, foi aclamada por cerca de 1 mil pastores e familiares no 14º Encontro de lideranças da Assembleia de Deus do Pará e Mato Grosso, no sábado, 17, em Marabá, sudeste do Estado.

O primeiro final de semana de campanha do candidato ao governo do Estado pela Coligação “Juntos com o Povo”, Simão Jatene, foi de contato direto com os eleitores. E Jatene saiu-se muito bem no teste de popularidade. No sábado pela manhã, Jatene conversou com veranistas que faziam compras no mercado municipal e que tomavam café da manhã nas barraquinhas da praça central de Mosqueiro.


SEGUNDA-FEIRA

Agenda de Simão Jatene

O Candidato ao governo do Estado Simão Jatene retorna de Salinópolis no final da manhã e, na parte da tarde, participa de reuniões com seus coordenadores de campanha e com a equipe de mídias sociais e internet.

Agenda de Ana Júlia
Manhã - Agenda de governo
15h - Caminhada na Gleba 1, Bairro da Nova Marambaia.
Concentração: Rodovia Augusto Montenegro com WE-2, ao lado do posto de saúde.

20h - Reunião de coordenadores da coligação.

*Agenda prevista

(Fotos: Assessoria dos candidatos)