quinta-feira, 17 de março de 2011

Advogado, ex-assessor de Ana Júlia, vai devolver dinheiro se ação da OAB contra Jatene prosperar?

Membro de Comissão da OAB fez o seguinte comentário sobre a postagem "Advogado assessor de Ana Júlia assina ação contra ...":

Quero saber se o Kawage, conhecedor da suposta ilegalidade do ato de contratar assessores sem que o cargo tenha sido criado por lei, também está disposto a devolver o que recebeu do erário estadual?
Ou ele não sabia q era ilegal?
Quero saber por que o nosso presidente não submeteu ao Conselho Seccional decisão sobre ajuizar ou não ACP, como manda o Estatuto da Advocacia (lei federal)?
Ele não sabia?
Ops!!!

4 comentários:

Anônimo disse...

É impressão minha ou esse blog está fazendo a defesa do nepotismo cruzado e do empreguismo no Estado apenas porque os autores da ação não são tucanos?

Pergunta minha ao blog: se fosse um advogado ligado aos tucanos que ingressasse com a ação no governo passado, qual sua atitude, já que no primeiro governo jatene também tinha assessor especial?

O Estado do Tapajos On Line disse...

O leitor acima pensa que todo mundo é idiota, que não entende o que é publicado aqui no Blog do Estado.
Fosse qual fosse o advogado que recebesse um benefício em um governo e entrasse com ação contra o governo adversário que incorre em igual prática ilegal, seria criticado da mesma forma, não importa se petista ou tucano.
Quanto a nepotismo cruzado e empreguismo, a redação do Blog do Estado está à vontade: não emprega parentes no governo e defende publicamente que apenas os que realmente trabalham devem ser mantidos nas assessorias especiais e demais cargos de confiança.
O que incomoda o leitor que se esconde no anonimato é que este espaço cobra coerência, um atributo que faz enorme falta à biografia de muitos arautos da moralidade.

Anônimo disse...

ENTRA GOVERNO, SAI GOVERNO E O ESTADO DO PARÁ CONTINUA NA MESMA... UMA FARRA DE IMORALIDADES: EXECUTIVO, LEGISLATIVO, JUDICIÁRIO, VALE, ORM, ETC, ETC

Anônimo disse...

Caro Miguel,
concordo com vc qdo diz que "os que realmente trabalham devem ser mantidos nas assessorias especiais e demais cargos de confiança". No entanto, infelizmente não há como fiscalizar quem efetivamente trabalha (trabalha de verdade e não só comparece no órgão).
Antes que pensem que sou favorecido por favores políticos, deixo claro que não. Sou servidor público concursado (que estudou e abdicou de muita coisa durante as preparações para os concursos, coisa que muito favorecido não o fez).
Qto ao advogado assessor, tenho a lhe informar que ter sido ocupante de cargo comissionado no governo vermelhinho não é a única coisa que pesa em seus desfavor... acredito que logo logo novas notícias surgirão a respeito do patrono...