quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Gafes em profusão na solenidade de abertura da feira agroindustrial

O gerente do Serviço de Patrimônio da União (SPU), Lélio Costa, deve ter voltado para Belém, hoje cedo, com um dúvida atroz: O que também estaria escrito na placa que marcou a entrega do título de concessão de uso da área ao Sindicato Rural de Santarém - Sirsan? Uma palavra teve que ser coberta com uma fita preta.

Se Lélio não sabe ainda, o Blog do Estado bate de primeira: a tarja preta aposta sobre o sobrenome da prefeita Maria do Carmo era nada menos que "Maia" [ do deputado Joaquim de Lira Maia, seu adversário político ] e não "Lima", o que seria o correto.

Essa foi apenas uma das gafes do cerimonial contratado pelo atabalhoado presidente do Sirsan, Tony Filter. A mestra-de-cerimônia, jornalista Adriana Pessoa Cunha, muito nervosa, omitiu nomes e fez a promoção ou rebaixamento de títulos de algumas autoridades presentes, além de ter atropelado a ordem de precedência.

O diretor-presidente da Adepará, Mário Moreira, órgão estadual encarregado do combate à febre aftosa, por exemplo, só foi chamado à mesa quase no final do evento, o que provocou constrangimento da platéia.


6 comentários:

Anônimo disse...

Miguel,
A bonitinha Adriana foi jogada às feras. Talvez ela tenha pensado que havia teleponto no picadeiro em que se transformou o salão da feira agropecuária e não se preparou à altura.
Mesmo assim, culpá-la exclusivamente pelas gafes me parece injusto e mordaz. Não duvido de suas informações, pois tenho informações que recomendam o seu trabalho.
Queria te dar uma sugestão: faça uma entrevista com a Adriana. Pode ser que ela, além de se defender, revele outras situações hilariantes que ainda não tomanos conhecimento.

Luiz Carlos de Araújo

Peixoto disse...

Sr. Editor:
Perfeita a descrição de um circo montado pelo senhor Filter. Uma pena que a Adriana acabou por tisnar seu currículo por causa das indiscriçoes involuntárias cometidas por ela.
Além do Mário Moreira, presidente do Adepará ter sido chamado por último, a presidente da Emater, engenheira agrônoma Cleide Oliveira ( ela é tua parente, Miguel?} foi mencionada pela Adriana como 'representante" daquele órgão estadual.
Como leitor assíduo que sou do Blog espero, também, poder ler coisas boas a respeito da nossa feira agroindustrial.

Anônimo disse...

Miguel,

O sindicato Rural de Santarém SIRSAN tem a responsabilidade de fazer a Feira Agroindustrial, e não é especialista em cerimonial. Por esse motivo apoio a idéia de direito de reposta a Adriana Pessoa, que é uma excelente profissional. Quanto a Feira todos sabem o quanto esse evento é bem aceito e esperado pela população santarena.

Não tente derrubar as pessoas que fazem seus trabalhos com dignidade.

O Estado do Tapajos On Line disse...

Nota da redação:
1- Luiz Carlos. O Blog do Estado publicou as explicações da Adriana.
2- Peixoto.A feira tem que ter sua organização, orçamento e gastos exercidas com transparência e por isso o Blog do Estado fará a cobertura de assuntos que talvez não interessem a outras mídias
3- Anônimo. A Adriana já se manifestou. Quanto às críticas elas são necessárias sim, até porque grande parte do orçamento da feira é bancado pelo poder público. Quanto ao seu conceito de derrubação, guarde-o para si próprio.
Aos demais leitores: O Blog do Estado é independente, não necessita de patrocínio da diretoria do Sirsan, mas nem por isso promoverá qualquer 'derrubação' a pessoas que prestam serviços à feira agropecuária.
Pouco veículos santarenos dispõem de independência e credibilidade para abordar assuntos de interesse de segmentos importantes da sociedade.

Anônimo disse...

Fora que, o sindicalizado, que o ano inteiro contribui com o sindicato, pagando mensalmente as taxas referentes e participa das discussões para o fortalecimento do sindicato, ainda tem que pagar e caro para entrar na feira..brincadeira..

Anônimo disse...

E as vaca, o que disseram?


Nelore P.O