quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Bolsa-Verde vai beneficiar mais de 4 mil famílias no Oeste do Pará


O programa de Apoio à Conservação Ambiental, o “Bolsa Verde”, sancionado no último dia 17 de outubro pela presidenta Dilma Rousseff, beneficiará, inicialmente, 4.073 famílias assentadas no Oeste do Pará, que terão acesso a repasses trimestrais de R$ 300, cada uma. A Superintendência Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Oeste do Pará irá coletar as assinaturas dos termos de adesão por parte dessas famílias selecionadas para o programa, que integra o Plano Brasil sem Miséria.

A assinatura dos termos de adesão iniciou nesta quinta-feira (20) pelo Projeto Agroextrativista (PAE) Tapará - Município de Santarém -, onde 274 famílias estão no rol de beneficiárias. A primeira etapa do cronograma elaborado pelo Incra prevê a coleta de assinaturas em mais nove assentamentos nos municípios de Santarém, Alenquer, Curuá e Óbidos.

As 4.073 famílias assentadas e ora apontadas no perfil de beneficiárias do programa “Bolsa Verde” no Oeste do Pará residem em 20 Projetos Agroextrativistas, modalidade de assentamento ambientalmente diferenciado, que privilegia populações tradicionais e a preservação da biodiversidade. O PAE Lago Grande, Santarém, é o projeto com maior número de famílias para a assinatura dos termos de adesão: 1.531.(Ascom/Incra)

Um comentário:

Gilberto Alvarenga disse...

essa bolsa verde e nada menos do que o bolsa escola.. novo formato.. ja e alguma coisa para se diminuir a devastacao da amazonia... mais essa bolsa verde ela tem que chegar tambem aos pequenos e medios produtores rurais.. nao no valor de 300 reais.. temos que criar uma formula de calculo para se chegar a um valor mensal.. esse mecanismo seria uma forma para nao se permitir que os podrutores rurais nao expanda a devastacao e preserve as area verdes existentes.. esse beneficio fiscal claro que pode se implantado no brasil..